quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Conto - Viajem do Caribe (43 fotos)

A nossa viajem do Caribe

Eu e minha esposa Carla, ficamos sabendo da existência de uma praia no Caribe, que era frequentada por casais liberais.


Nós iríamos passar uma semana na famosa praia e eu não queria perder um segundo daquele passeio incrível.

1o. Dia - fazendo novos amigos
Mal acabamos de chegar na praia e eu achei que um bom jeito de conhecermos novas pessoas seria transando no meio da praia.

Carla começou a pagar um boquete para mim e estava excitadíssima, pois sabia que a chance de ter alguém conhecido lá seria praticamente zero.
















Então poderíamos realizar todas as nossas fantasias sem se preocupar com mais nada. Ela olhava para mim e me provocava dizendo que seria a maior puta da praia.










Carla sabe chupar um pau. Embora o meu não fosse tão grande ela tratava ele muito bem. E lá estava ela me chupando para quem quisesse ver! Ela começou a bater uma siririca ao mesmo tempo que sugava minha vara.














As pessoas que passavam começaram a olhar. Eu passei a mão na xoxota da Carla e ela já estava completamente molhada. Nesta hora chegou mais um turista que começou a admirar de perto a bocetinha da minha esposa.








Não demorou muito e coloquei Carla na sua posição preferida. Comecei a bombar ela e ela estava adorando ser fodida na praia na frente de todo mundo. Ela gozou alucinadamente e fomos descansar.











2o Dia - começando a se soltar

No segundo dia, como o calor era muito forte, Carla resolveu ficar em baixo da barraca e mandou eu comprar mais água. Tive que andar uns 2 quilometros e quando voltei me deparei com uma cena muito excitante. Ela se masturbava em baixo da barraca com dois caras olhando a cena. Os caras eram bem pauzudos e a Carla de novo estava ficando com muito tesão. Eu fiquei na espreita olhando o que iria acontecer, pois não queria estragar aquele momento de prazer. Eu sei que os três acabaram gozando muito sem se tocar e quase ao mesmo tempo. Eles falaram que voltariam no dia seguinte.

3o Dia - Carla punheta os nossos amigo

No dia seguinte eu vi os dois caras chegando e novamente saí fora. A Carla estava de camiseta e os dois cara chegaram e já foram colocando o pau para fora. Carla não se fez de rogada. Começou a punhetar os dois. Hora pegava o pau de um, hora pegava o pau do outro. Ela ficava ali segurando e comparando as duas picas que estavam à sua disposição.






Eu estava com muito tesão em ver a minha esposa batendo uma punheta para dois desconhecidos no meio da praia. Ela caprichava ao máximo.











Para excitar ainda mais os dois caras Carla ergueu a camiseta e deixou os seus seios pontudos à mostra. Não demorou muito para que os dois enchessem a mão dela de porra. Depois Carla me disse que eles deram uma dica. Falaram que ela deveria experimentar o Jamal que era um nativo bem dotado da ilha. Uma espécie de líder dos comedores. Mas que para o Jamal aceitar ela, primeiro eu deveria oferecer ela ao seu sobrinho Mubabe. Mubabe era um avaliador de esposas. Ele checava todos os quesitos das candidatas e se tudo estivesse como Jamal gosta, ele indicaria a esposa a Jamal. Um requisito incial é que a esposa jamais deveria ter se relacionado com um negro antes. Jamal fazia questão de deflorar as esposas na frente dos maridos pela primeira vez. Eles mostraram o local onde poderíamos encontrar Mubabe no dia seguinte e nos desejaram boa sorte.


4o Dia - Encontro com Mubabe

Carla e eu estávamos muito excitados com a história do Mubabe e fomos no local e hora indicada pelos nosso amigos para a famosa 'vistoria'. Vimos uma bela figura negra e ainda jovem se dirigindo a nós. Era Mubabe. Nós estávamos nus em cima de uma toalha e Mubabe delicadamente tomou os pés da minha esposa e começou a acariciá-los. Meu pau neste momento parecia que ia explodir. Fiquei constrangido com a ereção que tive e ansioso para que Carla fosse aprovada no teste.










Mubabe começou a fazer o exame da minha esposa. Passava suas mão negras firmemente no corpo claro da minha mulher como se quisesse examinar cada centímetro da sua 'candidata'. Ele foi subindo pelas coxas e minha mulher estava em estado de completo êxtase. Foi uma experiência muito sensual que jamais tínhamos tido.





Em dado momento ele colocou as duas mão sobre a púbis da minha esposa e ficou apalpando. Eu não entendia o que ele falava. Mas pelos gestos achei que ele estivesse avaliando se minha esposa poderia ser uma boa parideira. Ele fez com a mão um sinal de uma barriga de mulher grávida e depois um sinal de positivo. Acho que Carla estava aprovada no quesito fertilidade. E Jamal iria gostar de saber...







Logo em seguida, Mubabe afastou as pernas de minha mulher que não ofereceu nenhum sinal de resitência e foi examinar a xoxota dela. Acabou escorrendo todo o polegar boceta adentro com muita facilidade, pois ela estava completamente molhada, e parecia gostar do que havia encontrado. Ficou rodando o polegar lá dentro e olhando as expressões de prazer de minha esposa que a estas alturas soltava gemidos de prazer.











Retirou a mão de sua xoxota e passou a examinar os seios. No início só passava mão por cima dos peitos sem tocá-los. Queria sentir sua energia. Minha mulher estava ficando maluca. Acho que ela queria ser tocada, mas ele demorou a fazer e assim que o fez arrancou suspiros profundos de Carla. Para examinar os seios da minha mulher ele chegou a sentar em cima dele e esfregar sua jeba na barriga dela. Ele não parava de apalpar firmemente os seios de Carla que ficavam cada vez mais túrgidos e pontudos.





Ele parecia querer examinar a bunda da Carla e para isso puxou ela de lado pelo bico do seio. Quase tive um orgasmo ao ver isso. Carla não se conteve e agarrou o pau de Mubabe.








Com isto Mubabe voltou a examinar sua xoxota enquanto minha mulher acariciava seu caralho. Mubabe tentava manter um certo ar de profissionalismo no seu exame e isto deixava a minha esposa mais tarada.





Carla estava desesperada para dar para Mubabe. Mas pelo o que entendi a minha esposa deveria ser comida primeiro por Jamal. Mubabe só poderia foder ou gozar com ela depois que Jamal fosse o primeiro homem negro da minha esposa. Por isso Mubabe continuou a meter os dedos na Carla que repousava sua coxa branca em cima das pernas de Mubabe enquanto punhetava ele. Carla teve um grande orgasmo neste momento.


Mas, Mubabe precisava de uma prova da capacidade de boquete da minha esposa, porém sabia que se ela o chupasse ele gozaria em poucos segundos e seria punido por Jamal. Então ele fez sinal para que minha esposa me chupasse. Eu gostaria que ela lambesse o Mubabe, mas sabia que perderia Jamal por causa disso, então ofereci meu caralho a Carla. Mubabe sabia que, pelo fato de meu pênis ser pequeno, não haveria nenhuma restrição para Carla me chupar. Jamal abriu as pernas da minha mulher para ver se ela se excitava na chupada também. Sorriu ao ver a boceta dela melada. Meu pau estava prestes a gozar. Foi o melhor boquete que minha esposa já havia feito em mim. Mubabe ficou feliz e teve a certeza que ela se deliciava mesmo chupando um membro tão pequeno quanto o meu.



Mubabe fez sinal para que Carla não deixasse escorrer nenhuma gota de semen para fora da sua boca. Carla atendeu ao seu pedido e eu gozei em sua boca sendo observado por Mubabe de perto. Carla engoliu tudo sem deixar escorrer sequer uma gota. Mubabe fez sinal de aprovação e falou para Carla encontrar Jamal na manhã seguinte em sua cabana e sozinha.


5o Dia - Encontro com o líder Jamal

Carla passou a noite toda falando só sobre o Jamal e que não via a hora de ter a pica dele na xoxota dela, pois já fazia um dia que não recebia um pau na sua xaninha. Eu havai sido proíbido por Mubabe de comer a minha esposa. Ela estava alucinada por pica. Saímos cedo e fiquei na praia esperando eles voltarem. Achei que seria um encontro a dois, mas depois de alguns minutos vi minha mulher nua passeando abraçada com Jamal. Parecia que eles se conheciam há tempos e ele não tinha vergonha de bolinar a minha eposa na praia na frente de todos. Ela ria muito e parecia estar adorando ter sido uma das escolhidas por Jamal e não tinha vergonha de mostrar isso a todos na praia. Se sentia poderosa andando com Jamal tratando-a como se fosse sua própria mulher. Eu olhava para o casal e fiquei assustado na hora em que vi o tamanho da pica de Jamal. Era enorme e ainda não estava completamente dura.

Eles chegaram num local mais tranquilo. Jamal sabia quem eu era e porque estava ali. Ele fez gestos para que eu tirasse fotos. Jamal era aquele comedor que todo corno sonha em ter um dia. Daí eu entendi porque Mubabe teria que fazer uma pré-seleção das esposas. Ele era muito bom. A Carla foi logo abocanhando aquele pau grossão. As vezes Jamal olhava pra mim com ar superior e forçava a cabeça da Carla na sua pica, do jeito que ele gostava. Carla até esqueceu que eu estava ali por perto, mas Jamal fazia questão de mostrar quem era o verdaderio macho da minha esposa.


Carla mamou muito aquela jeba que não parava de crescer. O pau do cara era realmente bonito e Carla chupava de todos os jeitos. Passava a língua por toda a extensão. Escondia a cabeça com o enorme prepúcio e depois puxava ela para fora para lamber todo seu membro, das bolas até a ponta.

Jamal sabia que eu estava vendo e fez com que a Carla sentasse na sua cara e rebolasse. Ele acabou provocando a situação que todo corno sonha. Carla olhava pra mim com a língua atolada na sua xoxota e dizia:-"Olha aqui corninho...sua esposinha sendo fodido bem gostoso na sua frente."


Ela foi se inclinando e perguntando se eu gostaria de ver ela chupando a pica do Jamal? Eu respondi afirmativamente.


Ela ainda ficou punhetando aquele membro grosso do Jamal antes de cair de boca, acho que só para provocar. Eu tive que implorar para ela chupar e soltei um tímido "vai...chupa". E ela assim o fez.


Abocanhou novamente o membro de Jamal. Iniciaram um 69 frenético e ficaram assim por um tempão.

A Carla sentou com o pau de Jamal apoiado na sua barriga e mostrou a vara de Jamal que quase chegava na altura do seu umbigo. De novo ela quis me fazer de chifrudo, mostrando que estava adorando foder com o grande Jamal, e disse:-"Olha a vara que vai me comer.... é bem maior que a sua... Sua esposa vai dar para um negro bem na sua frente e pela primeira vez."







Ela se ajeitou e foi orientando o pau pra dentro da sua boceta com a ajuda da sua mão. Ela agora iria ser definitivamente arrombada por Jamal. Pude ver aquela bunda branca engolindo aquela enorme pica negra, escorregando centímetro a centímetro naquele canal aperado.


E os dois foderam até gozarem. Tudo isto na minha frente e eu fotografando. Carla muitas vezes olhava para mim enquanto era fodida pelo Jamal, como se quisesse me mostrar que ela era uma mulher muito especial e a maior puta da praia.



6o Dia - Gang-Bang na praia

No último dia da nossa viajem, fomos a praia e acho que já estávamos bem famosos no local. Vários caras apareceram para tirar uma lasquinha da minha esposinha recém deflorada pelo Jamal. E fizemos uma suruba deliciosa na praia ao entardecer, coroando a nossa viajem. Ano que vem tem mais...


FIM

2 comentários:

  1. Muito tesão, ams se são verdadeiras as fotos, pois parecem que são...cadê a camisisnha? Proteção e cuidado pela esposa, por ela e por seu marido são essenciais.

    ResponderExcluir